Protocolo Paratireoidectomia Total

PROTOCOLO PARATIREOIDECTOMIA – COMPLICAÇÕES PÓS OPERATÓRIO


Hematoma cervical Sintomático– Risco de compressão de vias aérea (paciente evolui com dispneia, dor, ansiedade) , necessidade de acionar a cirurgia imediatamente (Complicação RARA)


Eletrólitos no pós operatório – A queda de cálcio atinge o pico máximo em 24 a 48 horas, dosar PTH no primeiro dia do pós operatório, Fosforo e Magnésio 1x ao dia. E dosar cálcio iônico de 6/6h nos primeiros 3 dias do pós operatório.


Reposição de Cálcio (Manter o cálcio iônico entre 1,1 a 1,5 mmol/l)


SE USAR CLORETO DE CÁLCIO SOMENTE POR ACESSO CENTRAL


Correção rápida (se cálcio iônico < 1 mmol/l)

200 mg de cálcio elementar (22 ml de gluconato de cálcio ou 8 ml de cloreto de cálcio) + SF ou SG 100% EV em 10 minutos


Manutenção do Cálcio com BIC (Cai 6/6h e manter entre 1,1 a 1,5 mmol/l nos primeiros 3 dias)

100 ml (10 ampolas) gluconato de cálcio + Soro fisio ou glicosado 900 ml, BIC EV 50 ml/h

ou

37 ml (3,7 ampolas) de cloreto de cálcio + soro fisio ou glicosado 963 ml , BIC ev 50 ml/h

Ajustar infusão da BIC de acordo com o valor do cálcio iônico.


Calcitriol (0,25 mcg/cp)

Iniciar reposição assim que liberar dieta via oral. 04 cp VO de 12/12h (2 mcg/dia).


Carbonato de Cálcio (500 mg/cp)

Iniciar reposição assim que liberar dieta via oral. 02 cp VO de 12/12h


Reposição de Fosforo

Só repor fosforo em casos graves níveis séricos < 1,0 mg/dL

Fosfato Potássio 2 meq/ml ampola 10 ml

Fosfotato potássio 10 ml + SF 0,9% 1000 ml BIC EV em 6 horas


Reposição de Magnésio ( normal 1,6 a 2,3 mg/dl)

Manter valores normais de magnésio, pois a hipomagnesemia é causa comum de hipocalcemia

além de induzir resistência ao PTH

Correção rápida (Se Mg < 1,0 mg/dl)

Sulfato de Magnésio 10% 20 ml + SF 0,9% 100 ml BIC EV em 20 minutos

Manutenção (Suspender quando magnésio estiver na faixa normal)

Sulfato de Magnésio 10% 50 ml + SF0,9% 500 ml BIC EV 100 ml/h

5 visualizações